Loja das Parafinas

Loja das Parafinas
Parafina é Aqui! LOJA DAS PARAFINAS - Acesse já! - http://www.lojadasparafinas.com.br

sábado, 11 de outubro de 2008

ERA UMA VEZ .... SKATE


Ouvindo a música do Charlie Brown Jr. "...do skate eu vim, pro skate eu vou..." me peguei fazendo um remember do começo da minha 'carreira' (amadora, claro!) nos esportes radicais [skate e surf].

Lembro bem do começo, quando completei meus 10 anos de idade (isso em 1985) e pedí de presente para o meu pai, ou uma guitarra ou um skate, lembro que na ocasião estávamos na casa da minha avó Dna Sebastiana (que graças a Deus ainda está viva), no tucuruví, um bairro tradicional aqui de SP e havia uma loja que vendia skates, pranchas entre outros, enfim uma 'loja de surfwear e skatewear' na avenida tucuruvi, bem proximo de onde estávamos.

Fomos até esta loja, eu e meu pai, eu que na verdade queria a guitarra, mas o skate também tinha algo muito forte que me atraia, talvez pelo estilo da galera que andava no 'carrinho'. Chegamos na loja e tinham muitos skates mas um me chamou a atenção em especial, ele era amarelo e tinha um dragão desenhado na parte debaixo, na época o shape dos skates eram mais largos e os skates tinham alguns acessórios, como protetor de bico (um tipo de 'astrodeck' na parte de baixo da rabeta do skate para deslizarmos em duas rodas e não 'estragar' o shape), tinham também apoiadores laterais para manobras aéreas nas rampas, inverts e ho ho plants ou de carving, apoiadores de trucks etc enfim eram skates bem diferentes dos de hoje em dia.

Mal sabia eu que a partir daquele momento minha vida tomaria um rumo mais radical e muito mais interessante. Se eu tivesse escolhido a guitarra não teria conhecido a galera que conheço hoje e não teria conhecido os lugares que conheço hoje, enfim minha vida teria tomado um outro rumo.

A partir dali meu hobby seria o skate, o rock'n roll também me agradava, mas ficou apenas de coadjuvante na minha vida, servindo de trilha sonora para os meus rolês.

Hoje passados quase 20 anos desta minha entrada no mundo das 'boards' (pulso quebrado, torções e um ligamento cruzado anterior do joelho rompido (na qual já operei)) ainda faço meus rolês em cima do carrinho (com uma pequena mudança, hoje tenho um carveboard) e percebo que esta minha escolha foi muito positiva para minha vida no geral. Mas até hoje quando vejo uma pessoa 'deslizando' sobre um skate, seja nas ruas ou em alguma pista, eu sinto a vontade de fazer o mesmo, pegar um skate e sair andando livre com ele, deslizando sobre o asfalto e sentindo aquele vento no rosto que só quem anda ou já andou no 'carrinho' conhece. ONLY A SKATER KNOWS THE FEELING.